O açúcar na dieta das crianças! O que dar? O que não dar? Quando é que caímos no exagero?

O açúcar naturalmente presente nos alimentos, como frutas, cereais e verduras faz parte de uma alimentação saudável e fornece a energia que as nossas crianças precisam. O problema está nos produtos industrializados, onde o açúcar está escondido. Sabemos bem que o açúcar não traz nada de bom à saúde das nossas crianças, mas sabemos também que mais cedo ou mais tarde elas vão provar, gostar e pedir. Qual é a melhor abordagem? Proíbir? Limitar a ocasiões especiais? Deixar um dia por semana para “abusar”?

Em casa, conseguimos controlar o que as nossas crianças comem, mas não conseguimos, muitas vezes, controlar o que as outras pessoas lhes dão. Na nossa sociedade, dar um doce a uma criança ainda está associado a um carinho, um miminho e não é fácil mudar mentalidades. Quem nunca teve um pequeno desentendimento com um familiar por causa deste assunto que atire a primeira pedra!

Lembro-me muito bem de um certo episódio, na altura em que estava a fazer a introdução alimentar da Alícia. Certo dia, os avós acharam por bem dar-lhe uma colher pudim com o argumento de que: “a menina vai ougar, uma colher não faz mal nenhum!”. Ela adorou, lógico! Comeu o resto da fruta que lhe tinha feito? Não! Confesso que perdi as estribeiras! Principalmente porque os avós já estavam cansados de saber a minha opinião. Nesse dia, tive uma conversa séria com eles e a partir daí, passaram a respeitar mais a minha decisão.

VENHA CONHECER A NOSSA NOVA COLEÇÃO

Admito que posso parecer uma mãe chata, mas faço o possível para não dar açúcar às minhas filhas. Aliás, até foi na escola que provaram, pela primeira vez, gomas e rebuçados. Deixo os doces para os dias de festa e dou-lhes um bongo ou bolachas de longe a longe, não faço disso um hábito. Quero ensinar-lhes que podem comer de tudo, mas com moderação!

Muitas vezes sei que as pessoas me olham de lado quando não permito que lhe ofereçam rebuçados ou chupas. Não quero ser indelicada, mas as filhas são minhas e enquanto eu puder, caberá a mim e ao meu marido decidirmos, em termos de alimentação o que é o melhor para elas.

Qual a sua opinião? Que abordagem segue com os seus filhos?

Descontos até 50% em dezenas de Artigos! Sim METADE DO PREÇO! Aproveite!